Entrevista individual com Rielle Hunter

John EdwardsExistem escândalos políticos desde que existem políticos. É uma história bem conhecida - o candidato carismático é pego traindo sua esposa. Mas no caso do ex-candidato a vice-presidente John Edwards, o engano não parou por aí.



Um caso extraconjugal, uma gravidez não programada, um programa de paternidade, uma fita de sexo e uma campanha presidencial podem soar como um roteiro de Hollywood, mas todos esses eventos contribuíram para que John caísse em desgraça.

Em 2006, poucas pessoas tinham ouvido falar de Rielle Hunter, uma cinegrafista contratada para documentar a campanha de John em todo o país. Em seguida, houve rumores de um caso. A mídia noticiou que John traiu sua esposa de 30 anos, Elizabeth Edwards, com Rielle e secretamente teve uma filha chamada Quinn.



Quando Oprah conheceu Elizabeth, uma mãe de três filhos que lutava contra um câncer incurável, ela disse que descobriu sobre o caso de seu marido em dezembro de 2006, poucos dias depois de John anunciar sua candidatura.



Elizabeth achou que o caso havia acabado, mas em maio de 2007 Rielle engravidou do filho de John. Sete meses após a gravidez, um repórter de tablóide tirou uma foto de Rielle e seu segredo foi quase revelado. Caçadores de RielleEm vez de confessar a verdade sobre a gravidez de Rielle, um novo acobertamento foi planejado. Andrew Young, amigo e assistente de John, alegou paternidade. Andrew e sua esposa Cheri se esconderam com Rielle e voaram de um lado para o outro entre hotéis e casas particulares até nascerem. Andrew afirma que John criou este plano, mas Rielle diz que foi ideia de Andrew.

Em janeiro de 2008, menos de dois meses antes do nascimento de Quinn, John foi eliminado da campanha presidencial de 2008. Mais tarde naquele ano, John admitiu ao correspondente da ABC News Bob Woodruff que estava tendo um caso, mas novamente negou que fosse o pai do filho de Rielle.

Assim que as indiscrições de John se tornaram notícia velha, Andrew lançou outra bomba em janeiro de 2010. O político , Andrew diz que ele e Cheri encontraram uma fita de sexo que John fez com Rielle.

Rielle diz que os Youngs roubaram sua fita, mas ela não nega que ela e John estão no vídeo.

Durante anos, a mídia acompanhou cada passo de Rielle e questionou seus motivos. Quem é o verdadeiro caçador Rielle? Oprah viaja para a casa na Carolina do Norte que Rielle divide com sua filha para descobrir. Aqui estão alguns trechos selecionados de sua conversa. Caçadores de Rielle Oprah: É verdade que ninguém na sua vida acha uma boa ideia falar comigo?

Rielle: Ninguém acha que é uma boa ideia, mas sinto no meu coração que é a coisa certa a fazer.

Oprah: Por que você quis falar agora e nunca falou antes?

Rielle: Muito disso não parecia certo falar antes, e parecia mais certo depois que Johnny declarou publicamente a paternidade.

Oprah: Johnny significa John Edwards.

Rielle: Correto.

Oprah: Você o chama de Johnny.

Rielle: Eu faço. [É] seu nome de solteira.

Oprah: : Seu nome de solteira. E é por isso que você o chama de Johnny?

Rielle: Não, quando o conheci, não consegui pronunciar a palavra 'John', entende? Ele não parecia John para mim. Então eu disse: 'Isso pode soar estranho, mas posso chamá-lo de Johnny?' E ele disse: 'Bem, esse é o meu nome. Então sim.'
Caçadores de Rielle Oprah: Portanto, eles foram descritos de muitas maneiras diferentes. Garimpeiro. Handyman. Cabeça de vento da nova era. Você acha que foi julgado injustamente?

Rielle: Sim, acho que é ... bem, não é preciso. Este não sou eu.

Oprah: Bem, o objetivo desta entrevista é para eu descobrir quem você é. Então, vamos começar com os garimpeiros. Você estava atrás de John Edwards por dinheiro? Fama? Atenção?

Rielle: Não, eu nunca fui depois disto

ele. Eu o conheci e havia uma conexão muito forte, uma atração. Não tinha como eu estava perseguindo, queria alguma coisa [dele]. Nenhum deles.

Oprah: Ok, faça você mesmo?

Rielle: Absolutamente não. Não é minha experiência que um terceiro destrói uma casa. Acho que os problemas existem antes de um terceiro entrar.
Rielle Hunter e Oprah Oprah: Por que você acha que as pessoas o vêem de forma tão negativa?

Rielle: Bem, por causa do caso e também porque muitas pessoas abraçaram o mito do casamento ... o casamento de Edwards como uma história de contos de fadas e foi tão perfeito e tão maravilhoso e eu destruí. Portanto, ele se encaixa no enredo bidimensional.

Oprah: Ajude as pessoas a entenderem se você puder ou me ajude a entender porque o mundo o vê como essa pessoa. Você é considerada a amante que entrou e roubou o político. O que você quer que as pessoas saibam sobre isso?

Rielle: Para fazer isso, primeiro você deve ser convidado. Pessoas não são propriedade. Você não pode roubar o marido de outra pessoa. Você não pode roubar a esposa de alguém. Não é uma propriedade.

Oprah: Então, vamos voltar a como isso começou. Como você conheceu Uma das coisas que notei ao entrevistar Elizabeth Edwards no ano passado foi que ela disse que não conseguia acreditar ou mesmo entender uma mulher como você, que poderia ficar do lado de fora ou em um bar e dizer a um homem casado: Você é quente. 'Ela fez questão de dizer:' Quem está fazendo isso? ' Então eu pergunto a você quem faz isso

Rielle: Bem, eu tenho.
Andrew Young e John Edwards Oprah: Como isso aconteceu?

Rielle: Aconteceu porque o vi na Regência.

Oprah: Para o hotel.

Rielle: Para o hotel.

Oprah: Qual cidade?

Rielle: Cidade de Nova York. Estávamos lá e nos vimos e houve um olhar mútuo. Mas era apenas uma conexão como ...

Oprah: Você pensou, 'Oh, esse é John Edwards?'

Rielle: Não, eu não sabia que era John Edwards.

Oprah: De onde?

Rielle: Não prestei muita atenção à campanha de Kerry / Edwards. Eu tinha muito o que fazer na minha vida naquela época. Eu não era grande em política.

Oprah: Mas ele conseguiu sua atenção e você a dele.

Rielle: Correto. ... Ele olhou para mim e eu olhei para ele e ele se levantou e saiu. Então meu amigo foi até a outra pessoa e perguntou: 'Era John Edwards?' E ele disse: 'Sim, era isso.' Aproximei-me e comecei a falar com este homem também. Seu nome era Tony. Fomos até Tony e eu disse: 'Não acredito que foi John Edwards. Ele é tão gato.' E Tony disse: 'Você deveria ter dito isso a ele. Você deveria ter vindo aqui e dito isso a ele. Ele gostaria de ouvir isso. '
Caçadores de Rielle Oprah: Como vocês dois se conectaram?

Rielle: Não foi nada. Outro amigo veio até nós e parei de pensar em John Edwards. Zero. Então saímos do Regency para comprar comida, e então ele dobrou a esquina e me viu parado na rua. E brilhou. Ele estava tão animado. Quer dizer, brilha como uma árvore de Natal. A luz branca é tão brilhante quanto pode ser. Eu apenas me virei para ele e disse: 'Você é tão gostoso'. E ele praticamente pulou nos meus braços e eu disse a ele: 'Posso ajudá-lo'. E ele disse: “Preciso da sua ajuda. Eu preciso de sua ajuda.'

Oprah: Você sentiu a conexão que sentiu quando ele estava do outro lado da sala?

Rielle: Vezes cem.

Oprah: : E o que ele te disse?

Rielle: : Eu quero a sua ajuda. Eu preciso de sua ajuda. E eu disse: 'Você tem e-mail?' E ele disse: 'Não. Aqui. Eu fico aqui. Liga para mim. Eu vou ficar com esse nome. Liga para mim.' Eu disse: 'Quanto tempo você vai ficar?' Ele disse: 'Vejo você amanhã de manhã. Liga para mim.'

Oprah: Quando você disse a John Edwards: 'Posso ajudar', o que quis dizer com isso?

Rielle: Veja seu eu autêntico. Seja mais autêntico para que as pessoas vejam quem ele realmente era.

Oprah: Como você planejou isso

Rielle: Eu não tinha planos. Nenhum mesmo. Apenas meu coração sentia que eu poderia ajudá-lo.
Caçadores de Rielle Oprah: Quando você saiu de onde queria ir para o quarto de hotel dele, nenhuma parte sua disse: 'Talvez eu não deva?'

Rielle: Não.

Oprah: Você sabia que ele era casado?

Rielle: Eu sabia que ele era casado, mas não sabia como era o casamento deles.

...

Oprah: Você teve essa conversa sobre ajudá-lo?

Rielle: Tivemos uma conversa muito, muito longa, sim.

Oprah: E o que você disse?

Rielle: É uma conversa muito longa.

Oprah: Ok, basta resumir.

Rielle: Ele só queria ajudar e queria ajuda. Ele queria ser mais autêntico. Ele queria viver uma vida de verdade. Ele queria mudar sua vida.

Oprah: O tempo todo que você tem essa conversa, você também sente esse calor, esse clima, essa força magnética?

Rielle: E.

Oprah: E você pode sentir que ele está sentindo isso também?

Rielle: sim. Era óbvio.

Oprah: E foi assim que você passou a noite?

Rielle: Acho que vou dizer: 'Ok, agora você está escurecendo'. É o seguinte: toda essa viagem foi muito difícil para mim. Eu sou uma pessoa realmente privada com minha vida privada.

Oprah: Mas você pode simplesmente esquecer que sua vida pessoal é privada porque você foi muito exposto.

Rielle: Não, mas é o seguinte. Fui tão exposto com um monte de mentiras porque o que foi dito sobre mim - toda a minha vida pessoal foi escrita e exposta - os fatos estão errados. Estava tudo errado. Isso me incomoda porque estou muito comprometido com a verdade.
Oprah: Agora é o dia seguinte. O que começou então?

Rielle: Uma série de longos telefonemas.

Oprah: Quanto tempo?

Rielle: Muitas horas, quatro horas de cada vez.

Oprah: Então, no dia seguinte, você fala ao telefone por quatro horas. Poucos dias depois, você percebe o quê?

Rielle: Eu estou apaixonado.

Oprah: O que você acha da situação dele?

Rielle: Oh, isso é muito difícil porque ... como uma pessoa comprometida com a verdade e levando uma vida sem esconderijos, apaixonar-se por alguém que vive uma grande mentira é quase como uma piada cósmica. Eu tinha esse tipo de julgamento sobre qualquer pessoa que vivesse uma mentira.

...

Oprah: Você pensou na esposa dele?

Rielle: Sim, definitivamente.

Oprah: Você pensou em Elisabeth?

Rielle: Eu penso em sua esposa e filhos. E foi muito difícil. Muito, muito difícil. O difícil é que o poder do amor tem todos os problemas que surgem e todos os julgamentos e todos os meus: “Isso está errado. O que você está fazendo está errado. '

Oprah: O poder do amor fez isso.

Rielle: E.

Oprah: Portanto, você é obviamente uma pessoa que está no caminho espiritual. Você mencionou a verdade aqui várias vezes. Então, que parte de você poderia consertar estar com esse homem casado e com filhos?

Rielle: Porque ele estava disponível. Ele queria ficar comigo e o casamento deles teve problemas por muitos e muitos anos.

Oprah: Ele já te disse isso?

Rielle: Ele tinha. Ele tem sido completamente honesto comigo desde que nos conhecemos.
Oprah: Como Elizabeth Edwards descobriu sobre esse caso?

Rielle: Na manhã de 31 de dezembro de 2006, ela encontrou o celular que comprei para ele. E ligou [para mim] e eu atendi o telefone. Eu disse 'hey baby' e ela desligou.

Oprah: Você comprou um telefone celular para ele?

Rielle: Comprei para ele um celular que parecia exatamente com o telefone do trabalho para que ele pudesse falar comigo onde quer que estivesse, e as pessoas sempre pensaram que ele estava falando no telefone do trabalho.

...

Oprah: Ela desliga.

Rielle: :Sim. Ele me liga um pouco [mais tarde] e diz que acabou. 'Foram realizadas. Terminamos. - Presumi que ela estava lá quando ele disse isso e ele estava em um estado traumático. Seus mundos haviam acabado de colidir e ele desligou.

Oprah: O que você fez?

Rielle: Eu não chorei. Eu pensei: 'O que você quer dizer com acabamos? Estamos apenas começando. '

Oprah: Mas você não chorou.

Rielle: Não, então. Chorei várias vezes nos dias seguintes.

Oprah: Ok, mas você não acreditou ...

Rielle: : Chorei histericamente várias vezes nos dias seguintes. Foi uma época terrível. Oprah: Elizabeth descobriu logo depois ... ele anunciou [sua candidatura] à Presidência dos Estados Unidos. Ele falou com você sobre concorrer à presidência dos Estados Unidos?

Rielle: Sim, ele estava em um conflito extremo por causa disso.

Oprah: : Diga-me o que isso significa.

Rielle: Ele não sabia se era a coisa certa a fazer porque tinha problemas pessoais e um conflito interno sobre ter todos esses problemas pessoais que poderiam acontecer a qualquer momento e uma necessidade interna de querer servir. Além disso, acho que ele era viciado em campanha, e foi assim que aconteceu. E ele tinha um colega de trabalho que queria que ele o fizesse - todos os seus salários e meios de subsistência dependiam de seu anúncio. E Elizabeth queria isso.

Oprah: Você achou que ele deveria correr?

Rielle: Não, acho que não. Acho que ele tem uma grande capacidade de servir. Sou conservador quanto a isso. Eu acredito na verdade. Acho que você precisa colocar todos os seus patos em uma fila e levar uma vida de integridade antes de sair em público.

...

Oprah: Você concordaria ou discordaria que não estava na linha, que estava em contradição, que não tinha mais integridade consigo mesmo?

Rielle: Não, curiosamente. Essa é a coisa estranha sobre isso. Segui meu coração e acho que foi a coisa certa, o que é estranho. Eu entendo como isso é estranho. Não assumi nenhum compromisso com Elizabeth. Não fui eu que menti para ela, apoiei-o em seu julgamento e suas intenções nunca vacilaram. Eu sabia o que ele queria. Ele simplesmente tinha uma maneira realmente única de chegar lá, de viver uma vida de verdade.

Oprah: E você se apaixonou por este homem casado.

Rielle: Lei. Então eu senti que iria continuar apoiando e amando-o até que ele chegasse onde precisava estar.
Oprah: Quinn foi concebido em maio [2007].

Rielle: Final de maio. Eu não sabia que estava grávida até julho.

Oprah: Em que ponto João anunciou que [ele e Elizabeth] renovariam seus votos?

Rielle: Julho.

Oprah: Então, se John Edwards renovar seus votos a Elizabeth Edwards, ele saberá que você está grávida?

Rielle: Sim tut é.

Oprah: Como você pode consertar isso? Você está grávida e carrega o filho desse homem. Você sabia que era o filho dele porque não viu mais ninguém.

Rielle: Eu não vi mais ninguém.

Oprah: Você sabia que era filho dele e ele está tornando isso público ...

Rielle: Nós dois sabíamos que era seu filho.

Oprah: E ele sabia que era seu filho.

Rielle: Sim, ele odeia.

Oprah: Como se sentiu com relação a isso?

Rielle: Terrível. Meu próprio julgamento de alguém que está diante de Deus e faz um voto está me esmagando por dentro. Quer dizer, me surpreende que alguém possa fazer isso, que todos possam, porque é assim que fui construída. Eu nunca poderia fazer isso.

...

Oprah: Você não pensou menos dele porque ele fez isso?

Rielle: Não, o que é interessante porque entendi onde ele estava no julgamento.

Oprah: Você se machucou?

Rielle: Sim muito. Oprah: John Edwards já te pediu para fazer um aborto?

Rielle: Ainda não.

Oprah: Implicou que você deveria fazer um aborto?

Rielle: Ainda não.

Oprah: Portanto, ele a apoiou totalmente quando você teve o bebê.

Rielle: Eu não diria 'totalmente favorável'. Acho que ele teve muitos problemas de tempo e isso criou muitos conflitos nele. Do nosso ponto de vista, o momento não era bom.

Oprah: Ou seja, ele concorreu à presidência.

Rielle: Ele era casado com outra pessoa. Ele estava prestes a se candidatar à presidência. O tempo não é bom.

Oprah: Você esperava engravidar do bebê dele?

Rielle: Não sei se era esperança. Eu estava tão apaixonada por ele. Quando você está apaixonado por ele, isso é ativado.

Oprah: Você usou anticoncepcional?

Rielle: Não, nunca usamos controle de natalidade.

Oprah: Então você sabia que isso poderia acontecer a qualquer momento.

Rielle: Eu estaria bem se tivesse acontecido. Eu estava apaixonada por ele.
Oprah: Quando Investigador nacional tirou uma foto sua?

Rielle: 12 de dezembro [2007], creio eu, na Carolina do Norte.

Oprah: Há quantos meses de gravidez você está agora?

Rielle: Acho que foram sete.

Oprah: Foi por isso que John estava com raiva de você?

Rielle: : Sim, ele estava extremamente zangado e gritou comigo. Ele não é um gritador.

...

Oprah: Vamos falar sobre como o programa de paternidade [Andrew Young] surgiu.

Rielle: Isso foi agora. Liguei para o escritório de Andrew, para a casa de Andrew. Johnny gritou comigo ao telefone e Andrew estava sentado à minha frente. Ele disse: “Diga a ele que direi que é meu. Eu digo que é meu. '

Oprah: Andrew Young disse isso?

Rielle: Sim, ele odeia.

Oprah: Você o ouviu dizer isso.

Rielle: Eu o ouvi dizer isso e olhei para ele como se ele fosse louco, como se eu nem fosse repetir. [Eu pensei], 'De jeito nenhum vou dizer isso a ele. Você está louco e isso não acontece. Essa foi uma ponte longe demais para mim. Você não está reivindicando paternidade para meu filho. '

Oprah: Você sabe, Andrew Young descreve isso de maneira muito diferente.

Rielle: Sim eu conheço.

Oprah: Ele disse que recebeu um telefonema de John Edwards que disse: 'Você vai fazer isso?'

Rielle: Bem, isso pode realmente ter acontecido. Mas isso aconteceu antes.

Oprah: Ok, você diz ...

Rielle: Isso foi na noite anterior, então Andrew meio que falou com Johnny depois de sugerir isso para mim. Porque eu não repeti.

Oprah: Então você diz que a ideia de assumir a responsabilidade por ser o pai de seu filho veio de Andrew Young.

Rielle: Correto. Oprah: Por que você foi comigo?

Rielle: Este é o meu maior arrependimento.

Oprah: Por que você foi comigo?

Rielle: Meu maior erro. Cometi um grande erro ao participar. Levei cerca de três dias para embarcar. Eu lutei com unhas e dentes. Isso foi apenas uma ponte longe demais para mim.

Oprah: O que acontece depois? Como isso é apresentado a você?

Rielle: Eles voltaram para mim e [disseram] Cheri concordou que eu era o único que não concordou. Não pude acreditar que Cheri concordou. Como ela poderia concordar com isso? Ela era o meu fim. Eu realmente pensei que era ...

Oprah: Que sua esposa não vai concordar.

Rielle: : Sempre esteja lá. Sempre sempre sempre. E Johnny me ligou de volta e disse: 'Andrew diz que sim e Cheri está a bordo e você é o único que não está a bordo.' Foi uma época terrível, Oprah. Devastador. Devastador.

Oprah: Quando você finalmente disse sim, você disse sim, por quê?

Rielle: Bem, por causa da minha filha.

Oprah: Naquela altura você sabia que era uma filha?

Rielle: Sim, ele achou isso ótimo. Mas eu pensei que ela tinha muito contra ela. Isso seria ruim para os dois, muito ruim.

Oprah: O que seria ruim?

Rielle: Se ela se culpasse por isso ... se ele desistisse por causa dela porque eu estava grávida dela. E [se ele] mantivesse isso em mente, 'Eu poderia ter sido presidente' e a culparia por tudo. E se ela de alguma forma meteu na cabeça que era sua culpa ter nascido. Foi muito difícil para mim. Essa foi a única razão pela qual eu disse sim.

Oprah: Então, você estava pensando em sua filha quando disse: 'Sim, irei com André'. Você pode me dizer honestamente que nenhuma parte sua pensou em você?

Rielle: Não, eu não me importei. Algo aconteceu em mim. Talvez tenha estado lá o tempo todo, mas algo aconteceu em nosso relacionamento quando engravidei. Não era mais sobre nós. Era sobre ela.
Oprah: Quando John Edwards conheceu sua filha?

Rielle: 19 de março [2008].

Oprah: Como foi esse encontro?

Rielle: Cheio de amor, muito emocionante para mim.

Oprah: Como foi para você assisti-lo entrevistar Bob Woodruff?

Rielle: É uma guerra surreal. É uma guerra surreal.

Oprah: E ele é questionado diretamente: 'Você é o pai deste bebê?' De Quinn. E ele está mentindo sobre isso.

Rielle: E.

...

Oprah: Ele negou você, negou seu filho, mentiu na televisão nacional, de perto. O que te faz pensar que ele não está mentindo para você?

Rielle: Eu o conheço como a palma da minha mão. Eu sei quando alguém está mentindo. Eu posso sentir isso. Ele não está mentindo. Ele está confuso. Ele estava confuso. Ele tentou fazer de sua vida uma vida de integridade.

Oprah: Bem, isso não faz sentido para muitas pessoas, tenho certeza disso. Eles falam sobre ele tentando chegar à sua verdade e tudo o que vemos são mentiras e mentiras e mais mentiras e mais mentiras.

Rielle: Certo, estou tentando encobrir e manter a vida do jeito que estava. “Estou tentando consertar. Eu tenho que consertar isso. Eu tenho que fazer melhor, então vou continuar mentindo. ' ... Não funcionou. A vida mudou, quem ele era, mudou quem ele era é mudado.
Oprah: Então, vamos falar sobre a fita de sexo infame. Em primeiro lugar, por que todos vocês escolheram se gravar enquanto faziam sexo? Presumo que esteja na fita, certo? Sexo.

Rielle: Existe sexo.

Oprah: Sexo.

Rielle: Não acho que tenha havido muita reflexão no calor do momento. Era algo privado a portas fechadas e acredito que deveria ser mantido privado. Foi feito para isso, e depois que fizemos isso, porque éramos uma pessoa pública e porque foi gravado, dissemos: 'Bem, não foi uma boa ideia. Vamos fazer algo para impedir que alguém veja. 'Não queremos que ninguém veja nossos negócios privados. Então, tomei medidas para destruir a fita e mantê-la em meus pertences pessoais para que ninguém pudesse colocar as mãos nela.

Oprah: Você achou que quebrou a fita?

Rielle: Eu pensei que tinha destruído.

Oprah: O que você fez para quebrar a fita?

Rielle: Eu o cortei e puxei para fora do estojo.

...

Oprah: Por que você não queimou ou pisoteou ou jogou no incinerador?

Rielle: Certo, esse foi o primeiro pensamento que me ocorreu: 'Por que não queimei?' Não tenho ideia de por que esse pensamento não passou pela minha cabeça na hora.

Oprah: Me diga isso. John Edwards ficou chateado porque a fita não foi destruída?

Rielle: Acho que ele está tão humilhado ou exposto quanto eu. Quer dizer, não é bom para nenhum de nós. Dói em todos os níveis.
Oprah: Eu pensei que GQ

A entrevista foi realmente uma representação sólida [de você]. Foi uma entrevista muito boa, mas não consegui entender as fotos.

Rielle: Que erro aquele - um grande erro.

Oprah: Pareceu uma contradição com o que você está dizendo no artigo.

Rielle: Nem um pouco quem eu sou.

Oprah: O que você diz que devemos ver, você quer que vejamos que você não é o destruidor de casas. Você não é a senhora chamativa que chega e leva o político.

Rielle: Eu não quero que você veja isso. Eu quero expressar quem eu sou.

Oprah: OK.

Rielle: E você pode ver tudo o que vê. Mas eu não sou essas coisas, e as fotos fazem você acreditar ou se encaixar nessa história de que sou assim. [Foi um grande erro. Um que nunca mais repetirei. Viva e aprenda.

Oprah: Eu sei que estarei aqui como o som do Dr. Phil, mas o que você estava pensando?

Rielle: Você sabe o que eu estava pensando

Oprah: Sim o que você achou

Rielle: Aqui está o que eu pensei.

Oprah: Porque na verdade você tem que tirar as calças.

Rielle: Lei. O que pensei foi: 'Eu gostaria de uma foto sexy em que o mundo pudesse me ver como uma mulher bonita, ao contrário de todas as fotos lá fora, em que pareço uma bruxa malvada do oeste - a mais feia que você poderia imaginar. 'Então, definitivamente há ego aí. Veja onde o ego está levando você.

Oprah: Grande movimento do ego de sua parte.

Rielle: Grande movimento do ego. Grande erro. Mas sem desculpas. Eu cometi o erro. Eu assumo a responsabilidade pelo erro. Não vai acontecer novamente.

Oprah: O que Johnny achou dessas fotos?

Rielle: [Ele disse], 'Onde estão suas calças?' Ele sabia que eu estava chateado com ela, mas acho que se sentia protetor. Ele gostaria de ter estado lá para dizer: 'Não, não faça isso.'
Oprah: Qual é a situação do seu relacionamento agora?

Rielle: É privado. Porque o que passamos, preciso de um limite. Precisamos de limites em nossa vida privada.

...

Oprah: Ele sabe que você está dando essa entrevista?

Rielle: Ele faz.

Oprah: Como ele se sente sobre isso?

Rielle: Ele não gostou muito da ideia, mas me apóia quando sinto que tenho que fazer isso em meu coração.

Oprah: Você ainda o ama

Rielle: Oh, muito mesmo.

Oprah: Ele ainda te ama

Rielle: Eu acho que sim. Você teria que perguntar a ele, mas pela minha experiência, a resposta é sim.

Oprah: Ele alguma vez te disse que te amava?

Rielle: Oh sim. sim. É minha experiência que ele me ama.

Oprah: Você confia nele

Rielle: Muito.

Oprah: Você quer se casar com ele?

Rielle: Não tenho certeza se algum dia gostaria de me casar. Fui casado e não posso dizer nunca. Não sei se quero isso. Não preciso do casamento para definir quem sou. Não é um trem para mim.
Oprah: Quando tudo isso for dito e feito e olharmos para trás, para aquela época sua, Rielle Hunter, a amada e tudo mais, o que você quer que as pessoas realmente entendam o que aconteceu aqui?

Rielle: Todos os sentimentos que sentem e seu ódio dirigido contra mim tem a ver com seus medos ou sua raiva e decepção e tristeza por sua mãe traindo seu pai ou pai ou marido ou cônjuge. Tem a ver com eles e não tem nada a ver comigo porque eles não me conhecem.

Oprah: Por que não podem simplesmente pensar que está errado?

Rielle: As pessoas podem pensar que estou errado em fazer isso. Eles podem pensar que é errado alguém fazer isso, mas ainda tem a ver com seu pensamento de que é errado. Não tem nada a ver comigo.

...

Oprah: Qual é a lição para você de tudo isso?

Rielle: Havia muitos deles porque, por meio desse processo, me tornei uma pessoa melhor - mais compassiva, mais paciente, mais compreensiva, mais consciente. E ele também tem.

Oprah: Você acha que machucou Elizabeth Edwards?

Rielle: Acho que Elizabeth ficou magoada com todo esse processo. Acho que Johnny ficou magoado com todo o processo. Acho que todos em sua família foram prejudicados por todo o processo.

Oprah: Isso foi muito bom, mas você não respondeu a essa pergunta. Você acha que a machucou?

Rielle: Eu acho que machuquei Elizabeth? Você tem que perguntar isso a Elizabeth. Não sei. Eu não sei a resposta para isso.

Oprah: Você se arrepende de ser um amante?

Rielle: Não, porque aprendi muito. Isso contradizia cada parte de quem eu sou e tudo em que acredito, mas aprendi muito com isso. Portanto, não me arrependo, [mas] não repetiria.

Reveja a entrevista de Oprah com Elizabeth

Entre na casa que Elizabeth e John construíram juntos29.04.2010

Artigos Interessantes