3 maneiras de intervir quando alguém liga





Um homem grita 'Ei, docinho!' de uma mulher caminhando por uma rua da cidade. É tão rotineiro que quase parece um incômodo urbano aceitável, mas não é inofensivo. Essa reputação cotidiana é o assédio sexual público e tem consequências emocionais reais. Alguns defensores do assédio nas ruas consideram isso uma violação dos direitos humanos, e um membro do gabinete do presidente francês Emmanuel Macron chegou a sugerir que fosse criminalizado.

Jessica Raven, diretora executiva da organização sem fins lucrativos com sede em Washington, D.C., diz que não devemos simplesmente aceitar o assédio nas ruas como um fato desagradável da vida: 'É responsabilidade de todos falar.' O CASS alavanca a educação pública, workshops, divulgação e defesa para criar uma cidade mais segura e decente, e sua caixa de ferramentas de técnicas de intervenção (baseada em parte no amplamente estudado programa de treinamento de público do Ponto Verde) pode ajudá-lo a impedir um molestador em sua cidade. Traces ....



Chame-o como um guarda de fronteira
Comando 'pare!' com o braço estendido e a palma da mão aberta. Assumir a responsabilidade pode atordoar e enfraquecer um assediador que esperava uma resposta submissa.



Crie uma distração
Se você testemunhar um assédio, jogue as chaves no chão e faça uma pausa para perguntar ao alvo: 'Isto é seu?' Ou responda a uma ação anormal com uma resposta anormal confusa. Liberte a sua atriz interior e faça um barulho estranho e alto. Grasne como um pato ou cante com o coração. Esses movimentos simples podem atrapalhar e diminuir o assédio para que você possa escapar.

Escute
Se o incidente acontecer muito rápido para você reagir, ou se não for seguro intervir, apoie-os entrando em contato com eles e dizendo: “Eu vi o que aconteceu e não estava tudo bem. Posso fazer algo para ajudar? '

VÍDEO SEMELHANTE Webisode exclusivo: alunos de Oprah, Gloria Steinem e Barnard discutem imagem corporal

Artigos Interessantes