3 novas maneiras inteligentes de marginalizar o pessimismo

otimismoVocê se senta com seu chefe para fazer uma retrospectiva do ano. Apesar do feedback principalmente positivo, uma única crítica fica gravada na sua cabeça e o deixa nojento a semana toda. Soa familiar?



Nesse caso, você não está sozinho: é da nossa natureza nos fixarmos nas más notícias, um fenômeno conhecido pelos psicólogos como viés da negatividade. Essa paranóia embutida é um resquício de nossos dias de caçadores-coletores, quando sobreviver significava ficar de olho no perigo. 'A mesma química neuro-hormonal que evoluiu para nos impedir de atacar leões agora está bloqueada e carregada quando sentimos a menor ameaça', diz Rick Hanson, PhD, fundador do Instituto Wellspring de Neurociência e Sabedoria Contemplativa. 'Mas, embora essa reação ao estresse possa ter sido útil no Serengeti, agora é prejudicial.'

Um motivo: encontros negativos tendem a deixar impressões mais fortes do que positivos porque evocam reações mais fortes. Como resultado, desenvolvemos uma memória seletiva para erros, mágoas e falhas ruins - o que pode nos deixar desamparados, intimidados ou relutantes em correr riscos.



Nossa memória seletiva também pode nos levar a fazer julgamentos severos. Estudos da década de 1960 descobriram que era mais fácil formar uma opinião negativa do que uma boa opinião sobre uma pessoa que você não conhece (o que explica por que a publicidade de ataques políticos é tão eficaz). Justo ou não, é mais provável que descartemos um novo conhecido por checar seu telefone no meio de uma conversa do que lhe dando pontos por silenciar seu toque.



Felizmente para nós (e para as pessoas que encontramos), podemos tomar medidas para evitar que nossas mentes se deixem levar pelo pessimismo. Perguntamos a três especialistas - um coach de vida, um neuropsicólogo e um coach executivo - como podemos refrear nossos opositores internos.

Lute contra a paranóia com planejamento

“Cada vez que você faz uma grande mudança em sua vida, é importante ter um plano claro. Esta visão será a âncora que o impedirá de se deixar levar pela dúvida. Também é importante seguir em frente quando algo der errado - o que, é claro, vai acontecer. Por exemplo, imagine que você se sinta magoado com um comentário sobre seu progresso. Em vez de insistir nisso, concentre-se no que você pode controlar. Você pode conversar com a pessoa sobre isso ou se perguntar por que é tão sensível. Lembre-se de que você não é impotente. ' —Marcia Reynolds, PsyD, coach de vida e autora de

Pare e cheire o café

“Há uma expressão na neurociência: neurônios que disparam juntos, se conectam. Isso significa que novos padrões de pensamento podem realmente mudar a fisiologia do nosso cérebro. Mesmo que não possamos ignorar as más notícias, podemos treinar nossos cérebros para se tornarem mais alertas a boas informações. Se você notar um detalhe positivo em você mesmo, ou em outra pessoa, ou nas pessoas ao seu redor, experimente por pelo menos dez segundos. A maioria dessas observações será tão simples como 'O sol está brilhando' ou 'Este café tem um gosto ótimo', mas se você fizer isso algumas vezes por dia, sentirá uma mudança emocional. —Rick Hanson, PhD, neuropsicólogo e co-autor de



Próximo: Por que evitar apontar o dedo pode impedi-lo

Artigos Interessantes